Seja um
embaixador
SAMP!

Ao apoiar este projecto está
a garantir que chegará mais longe, por mais tempo, e a mais pessoas:

donativo

Categoria:

Os donativos são dedutíveis à colecta.
Conheça a legislação em vigor sobre mecenato social.

SwingSAMP

À semelhança do verificado em muitas filarmónicas do país, a chegada do jazz à Europa nas primeiras décadas do passado século XX apaixonou muitos músicos por este novo género musical. Assim aconteceu na Filarmónica dos Pousos, que ao longo da sua história foi mantendo várias formações de jazz. Destas destaca-se a “Orquestra Pousense” na década de 40, formação de qualidade superior, que então abrilhantou os principais clubes nocturnos da cidade de Leiria. Aí se destacou o trompetista Joaquim Lopes, que mais tarde viria a ser maestro titular da filarmónica.

A mais recente formação, a SwingSAMP tem a sua origem no dia 17 de Junho de 1980, quando 4 jovens filarmónicos dos Pousos realizaram o primeiro ensaio para participar no Festival de Música Juvenil de Caldas da Rainha, que viriam a vencer no dia 20 do mês seguinte.
A obra que lhes valeu o primeiro prémio, Tijuana Taxi, ainda hoje permanece no seu repertório.
Motivados pelo inesperado êxito alcançado, o quarteto inicial alargou-se a uma formação mais ampla baptizada com o nome de “Pupilos da SAMP”, então constituída pelos músicos mais jovens da filarmónica.
O concerto inaugural teve lugar no dia 8 de Dezembro de 1980.

Na primeira fase da história da orquestra foi decisivo o papel desempenhado por duas figuras marcantes na instituição: o maestro Joaquim Lopes pela vontade manifesta em ter uma orquestra ligeira nos Pousos, e Joaquim da Costa, ex-presidente da SAMP e um amante do Swing e das “Big Bands” norte americanas. Foi este último que muito apoiou estes jovens, na época muito incompreendidos pela direcção e colegas filarmónicos, e os entusiasmou com a oferta de discos e a presença assídua nos ensaios.

Durante toda a década de 80 a orquestra acompanhou o grupo de variedades SAMP em espectáculos um pouco por todo o país, sendo de destacar as suas actuações no “Pavilhão dos Desportos” e “Hotel Altis” em Lisboa, Teatro Circo em Braga e no “Rivoli” no Porto.
O ponto alto desta fase da orquestra deu-se com uma digressão a Paris onde realizou vários concertos para emigrantes portugueses, um dos quais no Pavilhão Jacques Brel.

Fundada e dirigida por Paulo Lameiro até 1992, passa então à sua fase de autêntica “Big Band”, em que a transformou o maestro Alberto Roque, e é seu actual director musical o maestro Bruno Homem.

A SwingSAMP dedica-se exclusivamente ao repertório Swing, sendo constituída maioritariamente por músicos de várias filarmónicas da região de Leiria, e também por alguns instrumentistas convidados.

Gostaria de tocar e aprender com a SwingSAMP? Os instrumentos habituais da formação são: Saxofones, Trombones, Trompetes, Viola Baixo ou Contrabaixo, Piano, Guitarra, Vibrafone, Bateria e Voz.

Contacte a Secretaria SAMP para mais informações.

 

| Créditos fotográficos de Miguel Bidarra |